1 de março de 2008

Mania de desenvolvedor




Se você é um desenvolvedor, com certeza já viu algo semelhante a isso algum dia:

CU

Não entendeu? Explico: em várias situações, durante a criação de um programa, torna-se necessária a sinalização de um ponto específico no código, para que durante os testes a gente saiba que o programa “passou” por ali, exibindo uma mensagem na tela. E nós desenvolvedores, com nossa criatividade e senso de humor peculiar, temos que bolar palavras e frases que serão exibidas nestes momentos. Portanto, mensagens que exibem “cu” ou clientes cadastrados com o nome “Pintolino” são bem comuns durante o desenvolvimento de um programa.

Isso costuma ser uma espécie de “segredo” dos desenvolvedores, já que a maioria dos xingamentos e palavrões são removidos posteriormente ou ficam nos comentários do código, e se tornam invisíveis depois que o programa é compilado e publicado. Até a Microsoft já foi “pega” fazendo isso, quando uma parte do código do Windows vazou e se tornou pública.

O problema é que ocasionalmente o desenvolvedor esquece de remover alguns destes testes, e aí você pode imaginar o resultado. Ao longo da minha carreira profissional eu já passei por várias situações que hoje são engraçadíssimas, mas que no momento foram bem constrangedoras. Imagine você apresentando um projeto para um grupo de clientes e de repente o programa exibe a mensagem que ilustra este post (sim, isso aconteceu comigo), ou então um cliente te ligando pra reclamar que o programa exibiu pra ele uma mensagem do tipo “você clicou no lugar errado, imbecil”. Não é legal.

Não adianta pedir para um desenvolvedor não fazer esse tipo de coisa. É como você pedir para um pedreiro trabalhar de terno ou para um ator de teatro não ser meio maluco. São pequenos direitos que a profissão te dá. Então, já que é impossível evitar, proponho aos desenvolvedores um método simples: use sempre o mesmo palavrão. Se você gosta de “cu”, use “cu” e somente “cu” em todo o seu código. Assim, quando você publicar seu programa, basta fazer uma busca no código todo por “cu” e você poderá dormir tranquilo, sem medo de que um dia seu programa irá xingar o usuário. Que tal?

Estava eu la lendo um post num blog e me deparei com esse texto. Eu não diria melhor, se existe algum programador nesse mundo que não faz, ou nunca tenha feito isso na vida, que atire a primeira pedra e mude de profissão.
Estou até agora tentando imaginar a cena do cliente ligando pra dizer que o sistema retornou o erro "Você clicou no lugar errado, imbecil!" ou na hora da implementação, no mano a mano mesmo, aquela singela mensagem "CU" pra você e seu cliente.

0 comentários:

Artigos recentes

Comentários recentes